Wednesday, May 20, 2009









Temos liberdade?
Pensamos de acordo com nosso discernimento e somos livres para agir de acordo com nossas ideologias?
Pensem em seu cotidianos: Ao acordar (talvez bem mais cedo do que desejaríamos) somos expostos e obrigados a conviver com um sistema que não condiz com nossa maneira de sentirmos a realidade...somos fruto (querendo ou não) de padrões impostos por anos de história, cultura e subjulgação.
Ousamos falar a verdade
Aquela que captamos por nossa percepção mais verdadeira
Mas pagamos alto preço por isso
Com mínimo resultado.......
Então no calamos...por economia libidinal
E nos atemos a coisas mais simples....
Não por preguiça, mas por sensatez....
E aquele espírito revolucionário tira um “cochilo”
Muito mais por respeito à um ritmo evolutivo lento...do que por vontade de manifestação;
Então, nos vemos exaustos....
E quando estamos quase minguando....
Quase do nada surge um estímulo
Uma reverberação de todo esforço...sinal de que estamos no páreo...
De que o ser humano, apesar das contradições e indiossicrasias...
Possui condições de transcender....
Neste momento...experimentamos a verdadeira felicidade...

E ao encerrar essa reflexão...
Olho para o lado
E vejo meu cão e meu gato dormindo serenamente juntos...
E ainda me pergunto: Somos nós, seres humanos..criaturas superiores??

Saturday, March 14, 2009

Chega a ser cômico o quanto essa vida é ilusão!
Numa hora, somos, temos e vibramos!
Noutra, tudo pode sumir numa jogada de dados...
E neste mundo, onde o que mais importa é matéria densa, perder uma fortuna pode ser realmente uma fatalidade gravíssima!
Temos o direito e o dever de sofrer por uma perda material....mas quem cultua outros valores, pode achar a situação um tanto quanto hilária, comparada a outras perdas mais substânciais em sentimentos!
Já perdi pai e mãe.....Seres insubstituíveis..
Já perdi amigos e irmãos que se confundiram, se mudaram, foram embora ou apenas fizeram escolhas irreconciliáveis;
Já perdi bichos de estimação, oportunidades, refeições..
Já perdi tempo, paciêcia (o tempo todo as vezes)..
Já Perdi a identidade, as chaves de casa...

Mas há algo que permanece...E parece ser a única coisa necessária!
Algo que nos mantém no páreo...quando estamos desanimados...e o que nos faz vibrar quando estamos na dianteira!!
Chamem isso do que quiserem (há vários nomes mesmo)!
Mas é a única coisa que importa realmente, e só a perceberemos quando perdermos tudo;
E aí então nos tornamos plenamente livres!!!

Wednesday, February 25, 2009


Coisas atuais...a mesmice do cotidiano!
Cá estamos, depois de um feriado prolongado de carnaval...
Obama disse que o povo tem que ajudar, participar para sairmos da crise! (Faça você mesmo alguma coisa) pq se depender dos políticos, estamos estagnados. Eu fiz minha parte. Desfilei na Escola da comunidade a qual presto serviço, garantindo um terceiro lugar, muito bom para quem não teve patrocínio de nenhum time de futebol...Mas vamos lá! Tinga teu povo te ama! Te ama mesmo! Pois a alegria daquele povo ensinaria o Obama em como lhe dar com a crise...é rindo porque de outro jeito não dá!
Pois o Carnaval...
O primeiro no Brasil foi em 1641, em homenagem à Dom João IV e hoje se apresenta como uma festa de manifestações populares.
O termo carnaval é de origem incerta, embora seja encontrado já no latim medieval, como carnem levare ou carnelevarium, palavra dos séculos XI e XII, que significava a véspera da quarta-feira de cinzas, isto é, a hora em que começava a abstinência da carne durante os quarenta dias nos quais, no passado, os católicos eram proibidos pela igreja de comer carne.

Pois hoje tem cara de revolução. Espaço livre de manifestação popular onde os temas mais variados aparecem na avenida de uma forma criativa, artística e irreverente.
Neste ano de 2009, uma das escolas abordou o medo e fobias. Uma das alas chamava "homofobia", tema que precisa ser debatido e trazido a tona para acabar com a hipocrisia que ainda persiste em nossa sociedade.
O carnaval então se transforma num espaço de debate e revisão de nossos valores mais enraizados..

Acostumada a só ver apenas a apelação do corpo, pensava eu, que o Carnaval era um movimento alienante, apelativo e vulgar. Mas essa visão era apenas parcial, construída por uma mídia que enfoca apenas aquilo que dá audiência, isto é , bundas.
Na avenida, vi muito mais que isso. Ví companherismo, parceria, alegria e amor à comunidade a qual as pessoas fazem parte. Orgulho de ser e defender uma escola.

Sunday, February 15, 2009


Numa necessidade de comunicação e expressão - volto a dar vida a essa página!

Por que nem tudo pode ser dito ou feito na hora que a gente quer, mas podemos metaforizar a vontade...Por que, como sabemos pelo dito popular, para bom entendedor, meia palavra basta..


Aqui postarei o que acredito...Aquilo em que tenho fé, mas nem sempre posso expressar porque a repressão hoje é muito mais sutil, mas nem por isso deixa de torturar...


Tudo que tive que calar...por educação ou compaixão...ou simplesmente por que não teria sido entendida..


Por que meu protesto hoje não é mais de repudiar estruturas recalcadas ... se dá através daquilo que luto por acontecer!!!